8 ilhas gregas para sonhar com as férias perfeitas

folder_openGeral

A Grécia é daqueles destinos perfeitos para fazer absolutamente nada em paisagens paradisíacas e mergulhadas em história. São muitas ilhas impressionantes para conhecer!

Cada ilha grega tem um segredo próprio. Então, não faz mal se você está em busca de cenários estonteantes ou uma viagem no tempo. Essa lista possui lugares perfeitos para você se sentir, com o perdão do trocadilho, um deus ou uma deusa grega!

Paros & Antiparos, Cíclades

Ilhas

Quer adrenalina? Andar de lambreta pelas estradinhas sinuosas da capital Parikia é a melhor maneira de ver Paros. Pela cidade, você vai reconhecer o típico mármore da ilha: brilhante e translúcido. Foi usado para esculpir a Vênus de Milo exposta no Louvre de Paris.

Você vai encontrar ainda mais esculturas de mármore se explorar a Panagia Ekatontapiliani, a Igreja das Mil Portas, do século 4. Na parte sul da ilha, as praias pertencem aos kitesurfistas que amam desbravar os famosos ventos das ilhas Cíclades.

A menos de dois quilômetros de barco de distância, a pequena e isolada ilha de Antiparos é a próxima parada perfeita para explorar os córregos azuis transparentes, pescar ouriços-do-mar, e caminhar por entre os cedros. Para quem não abre mão de tomar um sol, que tal deixar a roupa de lado nas praias naturistas espalhadas pela ilha? Soros e as enseadas em Agios Georgios são algumas das melhores opções para mergulhar nas águas azuis-celestes.

Para estar ainda mais próximo à natureza, acampe em um dos vários campings organizados da ilha. A sombra das árvores, a brisa leve e o aroma das plantas selvagens são tudo o que você vai precisar para uma noite de bons sonhos.

Como chegar:

Vá de balsa, saindo dos portos de Piraeus, Rafina e Lavrio. A viagem varia de 3 a 5 horas, dependendo do tipo de balsa que escolher pegar.

Creta

Ilhas

Creta é a maior das ilhas gregas, com mais de 1.000 quilômetros de costa para escolher. Conforme você vai dirigindo de costa a costa, inevitavelmente vai se encantar com a beleza natural da ilha. Especialmente as montanhas e a vista para o oceano.

Fique de olho nas placas marrons pela estrada que indicam os mosteiros e ruínas históricos que valem desviar o caminho um pouquinho. O Museu Arqueológico de Heraklion abriga uma coleção de artefatos da civilização Minoica. Destaque para os afrescos de 1.800 a.C, como o famoso Afresco do Touro do Palácio de Knossos.

Não dá para ir a Creta sem se entregar à dieta local, famosa por ser saudável e balanceada. Produtos da estação, peixe fresco, azeitonas, pão caseiro e queijos locais compõem a maioria dos pratos.

O jantar é servido tarde em Creta. Sirva-se antes de um refrescante Raki (drinque popular da Turquia à base de anis) e assista ao pôr do sol do alto de um terraço. Aqueles com paladar mais refinado podem deliciar-se ainda com os caracóis embebidos no azeite de oliva, suco de limão e tomilho – a epítome da “slow food” da ilha.

Complete seu dia sentindo-se o rei do Mediterrâneo, relaxando à beira da piscina de um resort 5 estrelas em Elounda, ou caia na balada na popular Malia.

Como chegar:

A maneira mais fácil de chegar lá é voando, até os aeroportos Haniá, Iráklio (Heraklion) ou Sitía.

Lêucade, Ilhas Jônicas

Ilhas

Dá para acreditar que você pode dirigir até essa ilha paradisíaca? Uma ponte minúscula une o continente a Lefkada, onde o visitante é recepcionado com baías com águas turquesas do Mar Jônico. As vistas mais lindas da ilha são dos penhascos brancos na praia de Egremni.

Siga para o interior até a antiga municipalidade de Sfakiotes, composta de diversos assentamentos históricos, para um passeio por entre o charme das oliveiras e os moradores balançando suas redes na varanda. Os dias preguiçosos por lá começam com um café gelado e terminam com um Ouzo (drinque de anis) geladinho para se refrescar do calor intenso.

O lugar mais animado para passar a noite é a praça de frente para a Igreja de São Espiridião em Lefkada, onde vê-se desde procissões religiosas até performances ao ar livre. A igreja fica entre restaurantes movimentados, então eis a desculpa perfeita para se esbaldar com as delícias gregas.

Como chegar:

Não precisa pegar balsa pois uma ponte liga o continente à ilha. Um ônibus de 5 horas desde Atenas é uma ótima opção para os que tiverem mais tempo. Se quiser voar, Lefkada não possui um aeroporto, mas no verão é possível pegar voos baratos saindo de cidades europeias vizinhas até a vizinha Preveza e depois pegar um bus de meia hora até Lefkada.

Samos, Ilhas Egeias do Norte

Ilhas

No leste do Mar Egeu, fica a ilha de Samos, lugar de nascimento de Hera, mulher de Zeus (segundo a mitologia grega). Apenas um dos três pilares construídos em sua honra no século 6 mantém-se por lá, em Heraion, considerado Patrimônio Histórico da UNESCO.

Explore a vegetação virgem que cobre a ilha, melhor admirada do alto dos montes Kerkis e Ambelos. Os que gostam de admirar pássaros, não podem deixar de passear ao ar livre para tentar avistar espécies endêmicas como aves de rapina, garças, pelicanos e até flamingos cor-de-rosa.

A história banha as raízes de Samos. Mate a sede por lá tomando um vinho doce Moscatel, especialmente durante o festival de vinhos todo início de agosto na capital Vathy. A uva Moscatel é histórica e que, dizem, foi usada pelos gregos antigos e mais tarde introduzida aos franceses através do comércio.

Há uma variedade de vinhedos clássicos que, graças ao isolamento, prosperaram enquanto o resto dos vinhedos da Europa foi destruído pela praga filoxera (pestes que põem ovos e impedem o crescimento dos vinhedos) no século 19.

Como chegar:

Via aérea, pegue um voo de 45 minutos de Atenas. Ou pegue uma balsa de 3 a 4 horas desde Quíos.

Quíos, Ilhas Egeias do Norte

Ilhas

Quíos é um dos segredos mágicos que os gregos pretendem manter assim. Perca-se explorando o vilarejo medieval de Mesta, construído como um labirinto fortificado, onde pode-se passear por entre túneis e dar de cara com terraços e propriedades privativas.

No alto da ilha, a cidade–fantasma de Anatavos esconde uma história trágica. Abandonada depois do Massacre de Quíos de 1822 (o assassinato de milhares de gregos por tropas otomanas durante a Guerra da Independência da Grécia), a cidade é um monumento nacional mantido por alguns poucos moradores que vendem produtos locais e mezedes (pratinhos de petiscos).

Quíos também é lar exclusivo da mástique, a única arvore que produz a goma mástique aromática. A região sul, Mastichochoria (que significa vilas de mástique), é um labirinto de sete vilarejos com ruas estreitas e fachadas intricadas.

Elementos decorativos em preto e branco compõem o visual da cidade. Mesmo a praia Mavra Volia parece imitar o esquema de cores. São rochas vulcânicas negras contrastando com o azul profundo do mar e as pedras amarelas.

Como chegar:

Voe para Quíos saindo de Atenas (45 minutos) ou Creta (pouco mais de uma hora). Também há viagens de balsa regulares saindo de Samos que duram cerca de duas horas, ou de Pireas e Kavala.

Calímnos, Dodecaneso

Ilhas

Se lagartear na praia não for o bastante, Calímnos oferece uma infinidade de atividades para os mais esportivos. Calímnos, bem pertinho da Turquia, é famosa pelas suas esponjas naturais. Uma das mais antigas formas de mergulho, identificada em obras de Platão e Homero, os mergulhadores podem explorar o fundo do mar para tentar encontrar o raro “ouro de Calímnos”, vendido nos mercados e fábricas de esponjas.

Durante a Páscoa e na semana seguinte, acontecem celebrações pela ilha, mostrando técnicas de mergulho e canções folclóricas sobre o animal marinho que trouxe fama à ilha.

Acima da água, a paisagem rochosa é um paraíso para os alpinistas, com milhares de trilhas de escalada bastante seguras. A Gruta Grande, uma ampla caverna com vista para o mar, oferece um impressionante panorama do pôr do sol para quem conseguir se pendurar a 50 metros em muro de calcário coberto com estalactites.

Como chegar:

A solução mais barata para chegar a Calímnos é voar ou pegar balsa saindo de Atenas ou Bodrum até a ilha de Kos (pode-se também pegar um voo internacional diretamente para Kos, dependendo do país de origem). Siga para Pathia, o porto principal de Calímnos, em um passeio de balsa de alta de velocidade de 35 minutos; ou, pela metade do preço, uma balsa mais barata e mais lenta, que levará uma hora a mais.

Corfu, Ilhas Jônicas

Ilhas

O centro histórico de Corfu em nada lembra o arquétipo grego de casas brancas e domos azuis, mas sim uma reflexão das forças francesas, venezianas e britânicas que lá governaram. Esse local considerado Patrimônio da UNESCO é um misto de prédios renascentistas e barrocos, particularmente a praça central Spianada, onde pode-se passear sob os arcos e rotundas cheios de sombra.

Além de alguns inevitáveis resorts, a paisagem é tomada por montanhas cobertas de árvores ciprestes. Os vilarejos no alto das colinas guardam antiguidades maravilhosas. São mais de 20 igrejas ao redor do da vila Ano Korakiana. Para tentar preservar esses vilarejos da deserção, a Trilha Corfu compreende mais de 220 quilômetros conectando paisagens intocadas e charmosas vilas, por caminhos lindos e agradáveis.

Como chegar:

Pode-se voar diretamente de várias grandes cidades. Se fizer conexão na Grécia, pegue um voo de 1 hora de Atenas ou Thessaloniki.

A Grécia é um país incrível, com histórias lindas e lugares paradisíacos. Especialmente suas Ilhas.

Tenham todos um ótimo sábado! Obrigado por acessar nosso Blog!

Boa viagem!

 

Fonte: Momondo

O post 8 ilhas gregas para sonhar com as férias perfeitas apareceu primeiro em Blog do sr. SIAPE.

Receba as notícias antes dos demais Assinantes!

Clique para ativar as notificações e receba antes de serem publicadas

Receba as notícias antes dos demais Assinantes!

Clique para ativar as notificações e receba antes de serem publicadas

Publicações Relacionadas

Geral

Suspensão de pagamento de Pensão

question_answer0
Suspensão de pagamento de Pensão – A Advocacia-Geral da União (AGU) impediu, na Justiça, o pagamento retroativo de pensão a…

Deixe seu Comentário

Menu
[elfsight_whatsapp_chat id=1]
whatsapp icone